Estudantes chineses aprendem na FEUP como usar a Engenharia por um futuro melhor

Estudantes chineses aprendem na FEUP como usar a Engenharia por um futuro melhor

Viajaram da outra ponta do mundo para passar duas semanas na Universidade do Porto – a primeira na Faculdade de Letras e a segunda na Faculdade de Engenharia. De 9 a 13 de julho, 15 estudantes do Beijing Institute of Technology (BIT), instituição de ensino superior de referência de Pequim, participaram na primeira edição da ‘FEUP Summer School – Engineering for a Better Future’ (A Engenharia por um futuro melhor), iniciativa que teve o grande objetivo de reforçar a importância e o papel da Engenharia na construção de um futuro melhor nas várias áreas da sociedade.

Monitorizar os oceanos, perceber a importância da economia circular e das energias renováveis, saber como utilizar de forma inteligente a energia nas cidades e apresentar boas práticas de sustentabilidade foram os grandes temas abordados, liderados pelos docentes João Borges de Sousa, Lurdes Costa, Adélio Mendes e Adriano de Carvalho. O programa foi desenhado à medida para este grupo de estudantes, com temas sobre os quais a FEUP tem vindo a desenvolver atividade de referência e de grande importância para realidades como a da China.

No programa intensivo de cinco dias estiveram incluídas visitas a duas empresas de referência nacional na área das energias e da sustentabilidade – Efacec Mobilidade Elétrica e Lipor -, assim como a três spin-offs da FEUP com provas dadas nas áreas abordadas – NomadTechAddVolt e OceanScan. O trabalho laboratorial também não ficou esquecido: o grupo de estudantes visitou o Laboratório de Sistemas e Tecnologia Subaquática (LSTS) da FEUP e ainda o laboratório Efacec-FEUP, sediado no centro de inovação do Parque de Ciência e Tecnologia da U.Porto (UPTEC) e sob a alçada do Laboratório de Engenharia de Processos, Ambiente, Biotecnologia e Energia (LEPABE) da Faculdade de Engenharia. Esta primeira edição da ‘FEUP Summer School- Engineering for a Better Future’ terminou com um workshop interativo conduzido pelo grupo estudantil BEST Porto, que teve como tema a liderança para a sustentabilidade.

O grupo de participantes veio acompanhado de uma docente do BIT e era bastante heterogéneo em termos de background: tecnologias de informação, ciências da computação, economia e gestão, engenharia aeroespacial, engenharia química, engenharia de materiais, matemática e ainda física eram algumas das suas áreas de formação, todos no nível de graduação.

Apesar de bastante concentrado em termos de iniciativas letivas e pedagógicas, o programa social não foi esquecido ao longo dos cinco dias. Liderado pelo BEST Porto, o grupo teve a oportunidade de vivenciar os hábitos e locais mais frequentados pela massa estudantil, com direito a um sunset na baixa portuense, um jantar com a típica francesinha e até a banhos no mar!

Já o balanço feito pelos estudantes não podia ter sido melhor. Dong Bing, de 18 anos, fala em nome de todo o grupo: “A FEUP é o verdadeiro conceito de ‘campus de Engenharia’. Além disso, é de reforçar que, mais do que ensinar os estudantes, sentimos que comunicaram connosco com pedagogia, quase como se fossem nossos amigos! O bónus adicional é o facto da cidade do Porto ter um estilo de vida muito apelativo, onde tudo está ao nosso alcance e as atividades lúdicas são mais do que muitas. E isto na China é muito difícil de conseguir. Sem dúvida alguma, vamos recomendar esta experiência aos nossos colegas compatriotas”.

Do lado da Faculdade de Engenharia, tudo indica que este tipo de iniciativa, que teve este ano a sua primeira edição, será para repetir. “A capacidade de influência internacional da FEUP na educação e na investigação sai sem dúvida reforçada com este tipo de iniciativas que envolvem a colaboração com outras instituições de prestígio. A aproximação entre os nossos melhores professores e investigadores e os jovens estudantes estrangeiros permite pontos de encontro que visam uma aprendizagem com impacto positivo na sociedade global. A reação dos estudantes ao ambiente da FEUP e do Porto também realça a importância da experiência social e cultural que iniciativas como estas devem incluir. Aproximar pessoas com origens muito diversas é realmente muito relevante na nossa sociedade”, reforça João Falcão e Cunha, diretor da FEUP.

Fonte: FEUP

31 Julho 2018|Tecnologia|