Efacec promove emprego e melhoria das condições de vida de comunidades indígenas

O deserto do Atacama, no Chile, deixou de ser apenas um importante destino do negócio solar fotovoltaico da Efacec sendo também alvo da intervenção social da empresa.

No decurso da construção dos Parques Fotovoltaicos San Pedro III e San Pedro VI, no deserto do Atacama, no Chile, colaboradores da Efacec foram confrontados com a existência de inúmeras comunidades indígenas a residirem a mais de três mil metros de altitude, sem abastecimento eléctrico e com água muito escassa.

Tendo como foco importantes preocupações sociais, particularmente quanto à melhoria das condições de vida locais e à promoção do emprego, a Efacec instalou, em Abril, nas povoações andinas de Ayquina, Cupo, Toconce e Caspana, sistemas de iluminação, refrigeração e congelação, com alimentação assegurada por sistemas fotovoltaicos off-grid.

Este projecto surgiu no âmbito de iniciativas promovidas pelos municípios locais e de protocolos assinados com o município de Calama e com as comunidades indígenas da região de Atacama.

A Efacec instalou 38 postes de iluminação nessas quatro povoações, com sistema stand-alone fotovoltaico e em cada uma delas sistemas completos de refrigeração e congelação alimentados por sistemas fotovoltaicos autónomos de backup.

A colocação e distribuição destes equipamentos foi executada nos locais com a presença dos técnicos do Município de Calama, líderes comunitários indígenas.

No contexto da instalação dos parques fotovoltaicos a Efacec teve ainda a oportunidade de criar postos de trabalho na construção e na operação e manutenção.

 Deserto de Atacama

Com cerca de 1000 km de extensão, localiza-se na região norte do Chile até à fronteira com o Peru e é considerado o deserto mais alto e mais árido do mundo. A sua aridez decorre da baixíssima pluviosidade da região, como consequência da sua elevada altitude. A amplitude térmica é igualmente muito elevada, variando entre 0º e 40º Celsius.